Pesquisar no blog

terça-feira, 23 de maio de 2017

ÌGBEJÌ



Ìgbejì =  ìgbì  -  nascer  ;  èjì  - dois.
Significa nascer dois ou gestação dupla, nascimento de gêmeos.

O primeiro a nascer recebe o nome de Táíwò (a primeira criança, aquele que vai conhecer a vida) e o segundo de Kéhìndé (a criança mais velha), sendo considerado espiritualmente mais velho.
Òrìsà Ìgbejì, protege contra a morte prematura, acalma o sofrimento material e espiritual, orienta o Orí do Àbìkú e dos devotos, a seguir o caminho certo, atrai progresso econômico e desenvolvimento espiritual, harmonizando a vida material com a espiritual, proporciona sentimentos de paz, tranqüilidade, serenidade, confiança, fertilidade, transforma lágrimas em sorrisos.
É associado à duplicidade – entre o existir e o não existir, o fazer e o não fazer; por serem crianças, são ligados a tudo que se inicia e brota: a nascente de um rio, o nascimento dos seres humanos, o germinar das plantas...
Promove cura e bem-estar, interfere no destino humano, removendo obstáculos da vida.
Através das crianças gêmeas, que são o seu símbolo, frequentemente, são mandadas a Terra por algum òrìsà para aliviar o sofrimento de uma família.  Famílias que têm os gêmeos são santificadas pelo òrìsá com prosperidade e uma mulher que têm filhos gêmeos é reconhecida como Iya Ìgbejì (Mãe de Gêmeos).
Eles são, parte importante para entender nossa relação com o órun(céu) e àiyé(terra).  Ìgbejì é um òrìsà duplo e tem seu próprio culto, obrigações e iniciação dentro do ritual.  Divide-se em masculino e feminino, gêmeos.  Eles representam tanto a pureza e a paz, quanto os mistérios da magia.
Ìgbejì trás para seus iniciados um temperamento infantil e jovial; nunca deixam de ter dentro de si a criança que já foram.  Costumam ser brincalhonas e sorridentes.  É a divindade que rege a alegria, a inocência e a ingenuidade da criança.
Sua determinação é tomar conta do bebê até a adolescência, independente do òrìsá da criança.  Ìgbejì é tudo de bom, belo e puro que existe; uma criança pode nos mostrar o sorriso, a alegria, a felicidade, o falar e olhos brilhantes.  Na natureza, representa a beleza do canto dos pássaros e o perfume das flores.  
Ìgbejì aflora a criança que temos dentro de nós, as recordações da infância, pois tudo aquilo de bom que nos aconteceu na infância, foi regido, gerado e administrado por Ìgbejì.


Trabalho de pesquisa

por Erelú Iyá Òsún Funké, Iyanifá Fun Mi Lolá (Fatima Gilvaz)


Vários autores:

Falokun Fatunmbi
Pierre Verger

- Vários sites sobre o assunto

Visite o nosso SITE:  www.efunlase.com
Contato : E.U.A. 0021 1 305 998-9214  (WhatsApp)
                           0021 1 786 303-0674  (WhatsApp)
                 Brasil (21) 99713-3777  (WhatsApp)
                            (21) 99958-7230  (WhatsApp)


sexta-feira, 12 de maio de 2017

OLÓKUN

Olókun, Proprietário dos Oceanos.  Alguns dizem que ele foi o primeiro espírito a habitar a terra antes de todos os outros Òrìsá.  Representa a prosperidade do oceano e seus mistérios, mas também suas riquezas e estabilidade.
É por isso que ele é considerado como um dos òrìsá mais poderosos e prósperos.  Ele também é chamado de Obà Omi (Rei das águas).  Olókun é aquele que faz prosperar.

Ìbá Olókun a soro-dayò !

Saudação ao espírito do oceano, aquele que faz as coisas prosperarem !

Olókun de caráter compulsivo, misterioso e violento, é assustador quando irritado, mas tem a capacidade de transformar.  Na natureza é simbolizado pelo mar profundo, ele é o verdadeiro dono das profundezas, onde ninguém jamais esteve.  Representa os segredos do fundo do mar.  Também representa a saúde mental.  Olókun é um òrìsá perigoso e poderoso no culto Yorubá.

Ifá diz que nunca olharam para baixo, para ver o esplendor de Olókun.  Dentro do omi ayé (águas da Terra), acontece o mistério da abundância, vida longa e muitos filhos.

Este mistério está escondido sob as águas turbulentas, onde o homem é incapaz de penetrar.  São as águas ancestrais da vida, as águas que têm uma forma de consciência natural que flui e nutre.

Yemojá, Deusa dos Oceanos, a grande mãe, que defende seus filhos e sua família, é decidida e impetuosa, ela vai até o fim em seus objetivos.  Ela é a suave espuma branca da praia, mas também é o Tsunami que passa por cima de tudo, limpando e exterminando.

É a dona do subconsciente coletivo e da sabedoria antiga, é a guardiã dos segredos que estão escondidos no fundo do mar. 
Yemojá assumiu, o domínio dos mares junto com Olókun, em cujo movimento hora calmo, hora agitado e revolto, tem representada a sua personalidade inconstante.


Trabalho de pesquisa

por Erelú Iyá Òsún Funké, Iyanifá Fun Mi Lolá (Fatima Gilvaz)


- Vários sites sobre o assunto

Visite o nosso SITE:  www.efunlase.com
Contato : E.U.A. 0021 1 305 998-9214  (WhatsApp)
                               0021 1 786 303-0674  (WhatsApp)
                 Brasil (21) 99713-3777  (WhatsApp)

                            (21) 99958-7230  (WhatsApp)